O que é inteligência financeira?

Micro ou pequena, as empresas precisam compreender o que os números demonstram sobre o andamento do seu negócio e como integrá-los às outras áreas para ser sustentáveis

Jorge Souza

Em encontro com empresários e pessoas que querem começar a empreender, Jorge Souza conversou, em 31/8, na Sielbra, sobre ferramentas funcionais para criar e manter um negócio, a forma de se prospectar e fidelizar clientes, a fim de atravessar um período comum a toda empresa, o ‘buraco negro’, quando tudo se complica e se faz necessário estabelecer uma boa estratégia para abandonar essa posição.

Em termos de estratégia, é fundamental ter clareza quanto à missão da empresa e o valor do seu negócio, determinantes também para os pilares de marketing e venda.

Por isso, é importante compreender qual a abrangência do negócio, seu nicho, o plano estabelecido para se alcançar um objetivo futuro ou a solução de um problema. E, ainda, realizar com segurança a precificação no mundo digital, mais complexo do que no off line.

Em termos financeiros, qual o melhor caminho: utilizar o lucro obtido para investir ou crescer? “Quando é preciso estabilizar o negócio, o melhor é fazer investimentos com o lucro obtido, mas o negócio precisa realmente estar voltado ao ganho financeiro, ser rentável”, conforme explica Jorge Souza.

Um dos grandes problemas do pequeno negócio é que o empresário pode se sobrecarregar com tantas tarefas, de olho nas vendas e no marketing, na legislação, nas obrigações tributárias, e ainda questões administrativas. Não se pode perder o foco – o core business. Se a empresa se expande e necessita de colaboradores, o melhor é começar a contratar pela área de vendas/marketing, que irá alavancar o lucro, e o financeiro, que dará suporte e estrutura ao negócio para que ele não quebre.

Souza aponta vários tipos de empresários, desde o ninja [dá golpe para todos os lados], o estagiário [aprende empiricamente com o negócio], o marreco [seus negócios seguem aos trancos & barrancos, em um sobe e desce constante] e o falêncio [que está no vermelho e não sabe como sair do buraco].

Mas o que é, afinal, inteligência financeira? Souza esclarece que se trata da aplicação dos números à gestão e é preciso entender os riscos e oportunidades que eles apontam, o que mostram realmente. A compreensão é fundamental, mas igualmente a sua integração com as demais áreas da empresa, como o marketing e as vendas, por exemplo, para que elas sejam realmente utilizáveis, na prática. O especialista pontua que uma das vantagens das micro, pequenas e médias empresas é não necessitar de grande volume de análise, como ocorre com as grandes empresas.

Com o objetivo de auxiliar os micro, pequenos e médios empreendedores, ou quem quer começar a empreender, Jorge Souza realizará cursos relâmpagos de acordo com a necessidade de cada um. Confira:

Inteligência financeira (como entender e tomar decisões sobre os números da empresa), no dia 28/9, das 8h às 18:00 h. Duração: 8h. Investimento: R$ 120,00

Marketing que gera resultados e aumenta as vendas, no dia 5/10, das 8h30 às 13h. Duração: 4h. Investimento: 60,00

Como atrair clientes, gerar vendas e aumentar lucros, no dia 26/10, das 8h30 às 13h. Duração: 4h. Investimento: 60,00

Estratégia como forma de inovar, crescer e lucrar, no dia 9/11, das 8h30 às 13h. Duração: 4h. Investimento: 60,00

Jorge Souza é pós-graduado em Administração de Empresas (FAAP-SP); graduação em Engenharia Agronômica (UFPEL-RS); mais de 20 anos de experiência na gestão de negócios, modelos de negócios, marketing; vendas, R&D e desenvolvimento e implementação de estratégia. Experiência com empresas start ups e à frente da FIJI – Consultoria e gestão de negócio.

Conheça a empresa da Dona do Pedaço​

Jorge Sousa, professor, palestrante, empreendedor e consultor

Na Novela das 21:30 da Globo, Maria da Paz é uma “boleira” que montou uma rede de 22 lojas em poucos anos.

Na realidade, mais do que uma personagem de ficção, ela representa uma parcela significativa dos Empreendedores brasileiros.

Apesar de haver criado um produto “tecnicamente” maravilhoso, Maria da Paz tem o DNA para fazer negócios, mas não se preparou para ser uma Empresária. A despeito de haver crescido rapidamente, a Bolos da Paz chegou num estágio em que necessita algo mais do que entusiasmo, instinto e dedicação.

Maria da Paz aprendeu a fazer bolos de alta qualidade com a avó (uma habilidade “técnica”). Começou empurrando um carrinho pelas ruas de São Paulo (um começo duro, padrão de todo novo empreendimento). Economizou dinheiro e montou “uma portinha” para vender

seus bolos (a fase do sacrifício). Os clientes adoraram o produto (como muitas vezes acontece). E ela não parou mais de crescer (como também é normal). Durante alguns anos, o que sobrava do dinheiro conquistado com o suor do trabalho era investido na Empresa.

E, então, Maria da Paz se tornou uma grande “boleira”, e não conseguiu se transformar em “Empresária”.. Não acredita em Planejamento. Mistura o caixa da Empresa com os gastos pessoais. Não tem processos estruturados (seu padrão de qualidade é definido por uma “provadora” que enfia o dedo na massa dos bolos para testar o sabor). Tem um Gestor Financeiro de ótimo nível, mas não o escuta mais e o desrespeita permanentemente. Toma decisões por conta própria (“sou a dona disso aqui” costuma repetir). Comprou uma mansão. Encheu a “Empresa” de parentes e amigos. Distribuiu cargos que não agregam valor.

De repente, o ciclo se inverteu. Maria ficou rica e a empresa ficou pobre. O Caixa começou a “ficar curto”. Chegaram os empréstimos para cobrir compromissos de curto prazo. A “Empresa” passou a se financiar com dinheiro “caro”. Os fornecedores já não recebem em dia. Os recursos ficaram insuficientes até para comprar matéria prima. O produto carro chefe (bolo de chocolate) já não pode ser fabricado porque não há caixa para comprar os ingredientes. Os clientes começaram a reclamar e até a devolver os bolos por estarem secos e endurecidos.

Mesmo sem que se tenha acesso aos números, pelos “sintomas” já é possível saber que as vendas estão caindo, o endividamento (principalmente de curto prazo) está alto. Não tem mais Capital de Giro próprio – depende de capital de terceiros , bancos e financeiras. As Despesas Operacionais estão subindo. Não tem mais liquidez para saldar os compromissos. Ou seja, a “Empresa” caminha rapidamente para se tornar não operacional.

A “boleira” Maria da Paz segue, enfim, um roteiro familiar a muitos Empreendedores brasileiros.

Na novela, certamente, como num passo de mágica, tudo vai se resolver e a mocinha vai voltar a ser próspera e rica. Na vida real, no entanto, o desfecho, normalmente, não seria tão feliz.

https://www.linkedin.com/pulse/empresa-da-dona-do-peda%C3%A7o-jorge-souza/

Estratégia como forma de inovar, crescer e lucrar

Inscrições? sielbra.educacao@gmail.com

9/11/19 – Estratégia como forma de inovar, crescer e lucrar, das 8h30 às 13h. Duração: 4h. Investimento: 60,00

Com Jorge Souza – pós-graduado em Administração de Empresas (FAAP-SP); graduação em Engenharia Agronômica (UFPEL-RS); mais de 20 anos de experiência na gestão de negócios, modelos de negócios, marketing; vendas, R&D e desenvolvimento e implementação de estratégia. Experiência com empresas start ups.

Em parceria com a FIJI – Consultoria e gestão de negócio

26/10 – Como atrair clientes, gerar vendas e aumentar lucros, das 8h30 às 13h. Duração: 4h. Investimento: 60,00

5/10 – das 8h30 às 13h – Marketing que gera resultados e aumenta vendas para micro e pequenas empresas

Jorge Souza irá trabalhar com as três fases do planejamento de marketing (antes, durante e depois) e suas modalidades (off-line e on-line), bem como a realização de um bom planejamento, o que envolve a prospecção de clientes e do mercado, como gerar conexões e a fidelização. Ou seja, elaborar uma estratégia em consonância com o da empresa. A construção do plano de marketing deve ser enxuta e funcional, focada nas pequenas e médias organizações, utilizando-se um exemplo de modelagem de negócio. Também serão abordadas as categorias de produtos e serviços, a reposição de produtos e marcas, os nichos de mercado, o que é extremamente importante para a atuação da PME. E, ainda, a análise dos concorrentes e os canais para se alcançar esses clientes e entregar o produto/serviço, seu ciclo de vida, que ganhou muita ênfase, acrescentando-se o desenvolvimento de marcas. A logística é outro ponto de destaque, integra o marketing, e necessita de atenção quando se trata de um produto físico a ser entregue.

Invista no crescimento de sua empresa e no seu aperfeiçoamento profissional! Seja um empreendedor.

Inteligência financeira para micro, pequenas e médias empresas

Invista no crescimento de sua empresa! Inscreva-se: sielbra.educacao@gmail.com

Micro ou pequena, as empresas precisam compreender o que os números demonstram sobre o andamento do seu negócio e como integrá-los às outras áreas para ser sustentáveis

Inteligência financeira (como entender e tomar decisões sobre os números da empresa), no dia 28/9, das 8h às 18h. Duração: 8h. Investimento: R$ 120,00

Em encontro com empresários e pessoas que querem começar a empreender, Jorge Souza conversou, em 31/8, na Sielbra, sobre ferramentas funcionais para criar e manter um negócio, a forma de se prospectar e fidelizar clientes, a fim de atravessar um período comum a toda empresa, o ‘buraco negro’, quando tudo se complica e se faz necessário estabelecer uma boa estratégia para abandonar essa posição. 

Em termos de estratégia, é fundamental ter clareza quanto à missão da empresa e o valor do seu negócio, determinantes também para os pilares de marketing e venda. 

Por isso, é importante compreender qual a abrangência do negócio, seu nicho, o plano estabelecido para se alcançar um objetivo futuro ou a solução de um problema. E, ainda, realizar com segurança a precificação no mundo digital, mais complexo do que no off line. 

Em termos financeiros, qual o melhor caminho: utilizar o lucro obtido para investir ou crescer? “Quando é preciso estabilizar o negócio, o melhor é fazer investimentos com o lucro obtido, mas o negócio precisa realmente estar voltado ao ganho financeiro, ser rentável”, conforme explica Jorge Souza.

Um dos grandes problemas do pequeno negócio é que o empresário pode se sobrecarregar com tantas tarefas, de olho nas vendas e no marketing, na legislação, nas obrigações tributárias, e ainda questões administrativas. Não se pode perder o foco – o core business. Se a empresa se expande e necessita de colaboradores, o melhor é começar a contratar pela área de vendas/marketing, que irá alavancar o lucro, e o financeiro, que dará suporte e estrutura ao negócio para que ele não quebre. 

Souza aponta vários tipos de empresários, desde o ninja [dá golpe para todos os lados], o estagiário [aprende empiricamente com o negócio], o marreco [seus negócios seguem aos trancos & barrancos, em um sobe e desce constante] e o falêncio [que está no vermelho e não sabe como sair do buraco].

Mas o que é, afinal, inteligência financeira? Souza esclarece que se trata da aplicação dos números à gestão e é preciso entender os riscos e oportunidades que eles apontam, o que mostram realmente. A compreensão é fundamental, mas igualmente a sua integração com as demais áreas da empresa, como o marketing e as vendas, por exemplo, para que elas sejam realmente utilizáveis, na prática. O especialista pontua que uma das vantagens das micro, pequenas e médias empresas é não necessitar de grande volume de análise, como ocorre com as grandes empresas.

Com o objetivo de auxiliar os micro, pequenos e médios empreendedores, ou quem quer começar a empreender, Jorge Souza realizará cursos relâmpagos de acordo com a necessidade de cada um. Confira:

Marketing que gera resultados e aumenta as vendas, no dia 5/10, das 8h30 às 13h. Duração: 4h. Investimento: 60,00

Como atrair clientes, gerar vendas e aumentar lucros, no dia 26/10, das 8h30 às 13h. Duração: 4h. Investimento: 60,00

Estratégia como forma de inovar, crescer e lucrar, no dia 9/11, das 8h30 às 13h. Duração: 4h. Investimento: 60,00

Jorge Souza é pós-graduado em Administração de Empresas (FAAP-SP); graduação em Engenharia Agronômica (UFPEL-RS); mais de 20 anos de experiência na gestão de negócios, modelos de negócios, marketing; vendas, R&D e desenvolvimento e implementação de estratégia. Experiência com empresas start ups e à frente da FIJI – Consultoria e gestão de negócio.

Em 27/7 – Editar e publicar um livro na prática

Você poderá aprender a Editar um livro na prática. O curso orienta, de forma prática e direta os participantes em todas as decisões editoriais, dos procedimentos legais, burocráticos e das etapas da produção de uma obra literária. Informa sobre as relações profissionais com fornecedores e o autor dentro da nova Lei de Direitos Autorais, além de orientar sobre a produção gráfica editorial a fim de permitir que os participantes transitem com segurança no mercado editorial.

Este curso é voltado a quem deseja publicar sua obra e adequado para estudantes e profissionais de editoração, jornalismo e áreas afins. E, ainda, a possibilidade de participar de uma Antologia.

QUANDO? 27/7, sábado, a partir das 14h

CARGA HORÁRIA – 3 horas cada encontro, somando 9h, no total, mais visita técnica

INVESTIMENTO – R$ 450,00

METODOLOGIA – Exposição, exercícios práticos com os participantes e visita técnica. Possibilidade de participar de Antologia.

PÚBLICO-ALVO – Este curso livre não possui pré-requisitos e é voltado àqueles que desejam aprimorar ou reciclar seu conhecimento; quem deseja publicar sua obra ou de terceiros no mercado editorial; também é adequado para estudantes, autônomos, jornalistas etc.

JUSTIFICATIVA – O livro cumpre as funções de preservação e propagação do conhecimento, forma culturalmente e diverte, é base para o aprendizado e da difusão de novas informações. O acelerado processo de produção de conhecimento tem aberto permanentemente lacunas que necessitam da edição de novos livros.

OBJETIVO GERAL – Acompanhar, na prática, a produção do livro, do original até o seu lançamento.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS – Saber como preparar um original conforme normas da ABNT; entender as relações profissionais com fornecedores dentro da nova Lei de Direitos Autorais. Conhecer a dinâmica do mercado com visita técnica a uma livraria e a uma gráfica. Permitir o aprendizado por meio de um exemplo real, evitando erros e desperdício de recursos.

Com Eder Araújo – Com vasta experiência no mercado editorial, co-fundador do Projeto Literário Mosaico a primeira ONG no país de incentivo a literatura, editor da Libratrês desde sua fundação em 2000. Foi diretor nas editoras Fazendo Arte, Realitas e Impala. Revistas, livros e jornais são algumas das experiências que acumula. Foi o pioneiro a oferecer o curso “Como editar um livro”, em 1997; “Impressão sob demanda”, em 1998. Promoveu o 1º encontro de profissionais do mercado editorial em 1999 com apoio da Câmara Brasileira do Livro (CBL). Desde então vem ministrando palestras e cursos na área. Tem lançado livros nas áreas de educação, arte, direitos animais, entre outros temas.

E Solange Sólon Borges – Escritora e Editora (O Artífice). Jornalista e publicitária, com especialização em Mídia, Informação e Cultura (Celacc/ECA USP) e Comunicação e Marketing.  Mestra em Filosofia (Estudos Culturais pela USP Leste). Ex-colunista do Literário do portal Comunique-se.

 

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÃO: sielbra.educacao@gmail.com ou pelo whatsapp (11) 9-5209-8596

INSCRIÇÃO – Até 26/7 – sielbra.educacao@gmail.com. Ou pelo whatsapp: (11) 9-5209-8596.

IMPORTANTE: Ao fazer a inscrição, fornecer nome completo, celular para contato e RG.

FORMA DE PAGAMENTO – à vista ou em 2 vezes, no cartão de crédito, débito ou transferência bancária.